Saturday, Aug 17th

Última actualização:08:25:23 AM GMT

Manchetes:
Você está aqui: Actividades da Embaixada Actividades da Embaixada 2000 - 2012
 
na Rússia
 
Angola

Actividades da Embaixada

Embaixador de Angola destaca relações com a Rússia como exemplo singular de sólida cooperação internacional

There is no translation available, please select a different language. English  Русский 

O Embaixador de Angola na Rússia Joaquim Augusto de Lemos destacou as relações de Angola com a Rússia como “exemplo singular a sólida cooperação entre os dois países”, na sua intervenção durante o acto comemorativo do Dia da Independência Nacional, efectuado esta segunda-feira (12/11/2012) no Salão Nobre da Missão Diplomática em Moscovo.
Ao acto comemorativo central dos 37 anos da independência de Angola na Federação da Rússia assistiram o Director do Departamento África do Ministério de Negócios Estrangeiros da Rússia Serguei Kriukov, personalidades da política, economia, ciência e cultura da Rússia, membros do corpo diplomático acreditados na Rússia, diplomatas angolanos e convidados.
A cerimónia foi abrilhantada pelo apresentação do grupo de música tradicional angolano Kilandukilo e pela cantora Aischa, acompanhada de suas bailarinas.

Dia da Independência Nacional

NO TRANSLATION AVAILABLE

Acto comemorativo do 11 de Novembro, “Dia da Independência Nacional”, realizado na Embaixada de Angola na Rússia.

img 9251img 9294

Continuar...

Reunião dos Embaixadores africanos acreditados na Rússia

O Grupo de Embaixadores dos países africanos acreditados na Federação Russa reuniu-se hoje dia 15 de Junho em Moscovo para troca de informações sobre o desenvolvimento da situação actual no continente africano.
A reunião convocada pelo Embaixador de Angola, senhor Joaquim Augusto de Lemos, na qualidade de Presidente do Grupo Africano na Rússia, foi presidida pelo decano do Grupo, o senhor Jean Pierre Louyebo, Embaixador do Congo.
Os diplomatas também trocaram opiniões acerca das lições que devem ser assimiladas a raiz da condena a 50 anos de prisão, pelo Tribunal Penal da Haia em Abril de 2012, do ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, por crimes de guerra e contra a humanidade cometidos no seu país e na Serra Leoa. Taylor tornou-se assim o primeiro ex-chefe de nação a ser condenado pela justiça internacional.
Outrossim, os diplomatas abordaram o tema da eleição do novo presidente da Comissão da União Africana.

Pág. 2 de 5