Sunday, Apr 30th

Обновлено:09:13:13 AM GMT

Лента:
 
Посольство Республики Ангола в России
 
Angola

Jornada março-mulher decorre em Moscovo

Печать

 

A Jornada Março-Mulher anima a comunidade angolana em Moscovo com a realização de várias actividades de carácter sócio-cultural.

o âmbito do programa organizado pela Embaixada de Angola com a participação do Comité da Organização da Mulher Angolana (OMA) na Rússia, realizou-se, recentemente, uma palestra científica em que foram oradoras principais 3 jovens estudantes angolanas Áurea Dolores Kharrose, estudante de química, apresentou um trabalho intitulado “Como se faz acetona”, enquanto Bety Maria Rodrigues e Felicidade Jorge, ambas estudantes de psicologia, desenvolveram o tema “Novos métodos de ensino”.



A palestra contou também com uma comunicação sobre o cancro da autoria da doutoranda russa em medicina Larissa Soraeva.

Ao proceder a introdução da palestra, a Embaixatriz de Angola, Palmira Monteiro, sublinhou que Março é sem dúvida o mês de reflexão para todas as mulheres e enalteceu o facto do encontro permitir que mulheres possam ouvir outras mulheres dissertando sobre temas ligados às suas áreas de formação.

No dizer da Embaixatriz Palmira Monteiro, “a mulher está virada para o progresso, preparando um futuro melhor, participando no desenvolvimento da ciência e da sociedade”.

Ainda no âmbito do programa Março-Mulher uma delegação do Comité da Organização da Mulher Angolana (OMA) na Rússia e países da Comunidade de Estados Independentes (CEI) efectuou uma visita de solidariedade às estudantes angolanas Isabel Vilhena e Jéssica João, que se encontram a recuperar no sanatório Istra, nos arredores de Moscovo, na sequência do incêndio ocorrido em Novembro último no lar estudantil Nº 6 da Universidade da Amizade com os Povos (ex-Patrice Lumumba).

Segundo a Secretária Executiva da OMA na Rússia e países da CEI, Justina de Almeida Bragança, o gesto é algo que ocorre com naturalidade no âmbito do apoio e solidariedade que se deve continuar a prestar aos estudantes angolanos feridos durante o trágico incêndio de 24 de Novembro de 2003.

“Esta visita dá mostras de que eles não estão esquecidos e que a comunidade angolana permanece unida e solidária a exemplo do que aconteceu nos dias subsequentes a tragédia”, referiu Justina Bragança.

A abertura de um curso de informática dirigido às esposas e filhos dos diplomatas angolanos na Rússia marcou igualmente as celebrações da jornada Março-Mulher.

O curso que decorre no Centro Cultural do condomínio dos diplomatas angolanos em Moscovo visa a formação básica dos  participantes no quadro das novas tecnologias.

Ainda no domínio da formação, evidenciando o importante papel da mulher na educação dos filhos, a Embaixada de Angola e o Comité da OMA na Rússia promoveram uma visita à escola secundária Nº 469 de Moscovo onde estudam dezenas de crianças angolanas.

No termo da actividade que contou com a participação do Embaixador de Angola na Rússia, General Roberto Leal Ramos Monteiro “Ngongo”, a Embaixatriz Palmira Monteiro elogiou as excelentes condições em que estudam as crianças angolanas e a elevada qualificação do corpo docente.

Em saudação ao programa Março-Mulher que envolveu, igualmente, uma excursão feminina ao Museu de Artes “Pushkine”, a Embaixada de Angola editou dois números especiais do boletim informativo Angoflash (regularmente distribuído a comunidade angolana) com textos extraídos da agência Angola Press “Angop”, do Jornal de Angola e com material de produção local.

As actividades deverão prosseguir no âmbito do programa geral do grupo de mulheres africanas na Rússia.

08.03.2004