Tuesday, Mar 28th

Última actualização:10:21:01 AM GMT

Manchetes:
Você está aqui: Actividades da Embaixada
 
na Rússia
 
Angola

Actividades da Embaixada

Visita oficial à Rússia do Ministro da Defesa de Angola

O ministro da defesa de Angola, João Gonçalves Lourenço, realizou do 30 de Julho ao 7 de Agosto de 2015 uma visita oficial à Rússia, durante a qual discutiu com o seu homólogo russo vários aspectos da cooperação técnico-militar entre os dois países.
O governante angolano assistiu à abertura dos primeiros Jogos Militares Internacionais, que decorreram na Rússia de 1 ao 15 de Agosto.
Durante a abertura do evento o ministro russo afirmou que Angola poderá garantir a segurança na África Central e que Moscovo está pronta para ajudar a melhorar as capacidades profissionais das Forças Armadas Angolanas.
"Nós, certamente, saudamos a vontade da liderança angolana de melhorar ainda mais as relações bilaterais multifacetadas, incluindo a do sector da defesa. Estamos dispostos a ajudar em tudo o que fôr possível", garantiu Sergey Shoigu.
Angola é um dos principais parceiros da Rússia em África. Os dois países têm uma posição comum sobre uma série de questões internacionais, incluindo o conflito Sírio.
Em 2013, a Rússia concordou fornecer armas e equipamento militar à Angola no valor de um bilhão de dólares, incluindo peças de reposição para armas pesadas e ligeiras de fabrico russo, munições, tanques, artilharia e helicópteros de diferentes tipos.
Os jogos militares internacionais, em que Angola também participou, reuniram mais de dois mil soldados de dezassete países do mundo. As competições foram realizadas em 11 regiões diferentes da Federação Russa.

DSC 2701

O Embaixador de Angola na Rússia, Joaquim Augusto de Lemos, recebeu no aeroporto de Vnukovo o Ministro da Defesa de Angola, general João Gonçalves Lourenço, que visitou oficialmente a Federação da Rússia em 7 dias.

DSC 2716

O Ministro da Defesa de Angola, general João Gonçalves Lourenço, durante uma entrevista concedida à Televisão Pública de Angola.

DSC 2839

Ministro da Defesa, general João Gonçalves Lourenço, chefiou a comitiva de Angola no encontro com o Ministro da Defesa russo.

DSC 2840

Ministro da Defesa da Rússia, general Serguei Shoigu, durante as conversações com o Ministro da Defesa de Angola.

 

Ministro do Interior angolano participou na 2ª Conferencia Ministerial de Luta Contra a Droga em Moscovo

O Ministro do Interior de Angola, Ângelo da Veiga Tavares, defendeu em Moscovo que o combate ao tráfico de drogas não pode ser feito de forma isolada porque a troca de informações e a cooperação policial entre os países são determinantes na luta contra esse delito.
O ministro angolano fez esta afirmação a margem da Segunda Conferência Ministerial de Luta Anti-droga, realizada na capital da Federação da Rússia à 23 de Abril de 2015.
O governante angolano, que chefiou uma delegação de altos funcionários do Ministério do Interior ligados a investigação criminal, intercâmbio e cooperação, ouviu e constatou a experiencia de alguns países, bem como as formas de coordenação do combate à droga.
O ministro Ângelo Tavares, tomou boa nota da realidade de alguns países e ressaltou a experiencia neste domínio da Nicarágua que defende o combate com maior foco na produção da droga, porque cortando o mal de raiz, os demais ciclos do tráfico, como o trânsito e o consumo, deixam de ter lugar.
No evento foram definidos alguns documentos reitores que servirão de base para a luta anti-drogas no mundo.
Segundo o governante, Angola terá mais um suporte nesta área, porque fizeram parte da sua comitiva técnicos e especialistas anti-drogas que doravante poderão realizar o seu trabalho de forma mais eficaz.
Além disso, a transferência de conhecimentos para os países menos desenvolvidos e a troca de informações podem ajudar no combate à o tráfico de drogas, fenómeno que tem ligação com o terrorismo e o branqueamento de capitais.
À margem da conferência, o Ministro do Interior manteve um encontro com a delegação russa, para apreciar uma proposta de realização de um fórum internacional anti-droga em África ainda este ano, em que além da Rússia participariam diferentes países africanos, sob os auspícios da União Africana e da ONU. Esta é uma idéia que está ainda a amadurecer, e poderá continuar a ser consolidada através dos canais diplomáticos apropriados.
24 de Abril de 2015

IMG 4688

Reunião ministerial Angola-Rússia. Membro da delegação russa; Comissário Chefe Eugénio P. Alexandre, Director da DNIC; Ministro do Interior Ángelo de Barros Veiga Tavares; Comissário Chefe José Dembe, Director do Gabinete de Intercâmbio e Cooperação.

IMG 4815

Delegação angolana.
Da esquerda à direita, de cima para baixo: Comissário Chefe José Carlos Gomes, Chefe do Departamento Anti-DrogasDirector da DNIC; Conselheiro João Domingos Quiosa; 1º. Secretário Jorge João Manuel; Comissário Chefe Eugénio P. Alexandre, Director da DNIC; Embaixador de Angola na Rússia Joaquim Augusto de Lemos; Ministro do Interior Ángelo de Barros Veiga Tavares; Comissário Chefe F. Paiva, Cmte Provincial da Província do Bengo

IMG 4759

Durante a sessão de trabalhos da Conferência ministerial

IMG 4691

Reunião bilateral

Festa dos 41 anos da Independência comemorada com júbilo por angolanos e russos em Moscovo

DSC 0746

O embaixador de Angola na Rússia, Joaquim Augusto de Lemos, exaltou em Moscovo a importância da independência nacional como o principal alicerce do futuro risonho dos angolanos.
O diplomata angolano, falava durante um jantar de confraternização com a comunidade angolana residente, de entre diplomatas, estudantes e familiares de trabalhadores de recrutamento local no quadro do 41° aniversário dos festejos da independência nacional, assinalado à 11 de Novembro passado.

Joaquim Augusto de Lemos, fez uma incursão à dimensão da maior efeméride do país, abordando com profundidade o significado histórico, feitos, custos e benefícios tendo apelado sobretudo a comunidade residente, para uma melhor postura na contribuição dos desafios da actualidade que o país enfrenta.
O embaixador ressaltou também as excelentes relações entre Angola e a Rússia um parceiro estratégico desde os primórdios da nossa independência.
Entre os muitos atractivos do convívio, além da música, dança, esteve patente uma exposição de trajes nacionais, pratos típicos da culinária angolana com quitutes da terra, bebidas nacionais, bem como peças artesanais num forte retrato dos múltiplos aspectos da cultura de Angola.

DSC 0869

DSC 1449

DSC 1051

Continuar...

Celebração do 11 de Novembro

LOGOTIPO jornal de angola-02A Missão Diplomática da República de Angola na Federação Russa prepara-se para celebrar condignamente o 11 de Novembro, dia do 41º aniversário desde que Angola alcançou a Independência Nacional.

Esta data é um marco deveras importante da história do País. A independência, de que usufruímos hoje, resultou do esforço desmedido de angolanos, eternizados nas referências que a eles se faz nos principais símbolos da República. São os nossos heróis, aqueles que, pese a disparidade dos meiose da brutalidade da acção repressiva colonial, entregaram-se de corpo e almaem prol de uma causa comum: a liberdade. A luta, todavia, não cessou com o alcance da Independência. Estendeu-sedurante vários, seja nos cambos de batalha, em defesa da integridade territoriale soberania nacional, seja nas fábricas, nos gabinetes, nos campos agrícolas enas escolas. A paz foi, por fim, alcançada. Mas a luta continua. Sem armas namão, agora. Os angolanos ontem desavindos trabalham hoje juntos em prol dodesenvolvimento, procurando, cada um a seu nível, realizar os ideais daquelesque se bateram pela Independência nacional.

Natal da criança

DSC 6594

A embaixada de Angola em Moscovo, realizou como tem sido da praxe, mais uma festa de Natal Infantil 2015 com alguma pompa para os filhos dos diplomatas e trabalhadores da missão, sob o lema "Como descobrir a Misericórdia de Deus em Jesus?".
A cerimónia ocorrida no salão nobre da missão diplomática, serviu para a confraternização com os petizes, através de um almoço, entrega de brinquedos, muita música, dança e recreação. O Papai Noel, foi a figura central da actividade que teve a benção endereçada em duas mensagens religiosas de pessoas da terceira idade recebidas com muita atenção pelos participantes.
Na ocasião, após as orações outras passagens bíblicas, complementaram a intervenção da madrinha da festa de Natal, a embaixatriz Teresa de Fátima de Lemos, que enfatizou o fenómeno natalício e o seu real significado. Para ela do ponto de vista religioso, o 25 de Dezembro, serve para reflexão e como data cristã visa fazer juz à tradicional festa mundial dos católicos apostólicos romanos.
Preencheram o dia de muita animação, jogos como a dança das cadeiras, corridas de sacos, dança da laranjinha, cabra-cega, desfile de moda em trajes dos meninos, sorteios de cultura geral em que os pais e encarregados de educação também participaram.
Foram igualmente entregues pelo Papai Noel, aprumado com a sua tradicional indumentária vermelha, óculos, sino e o saco de brinquedos as merecidas ofertas para todas as crianças presentes. Por outro lado os adultos vencedores dos Sorteios na festa receberam presentes e lembranças, bem como outros adolescentes foram ainda contemplados com ofertas durante o acto. Valeu pelo convívio, pois a criançada adorou a festa de Natal ...

DSC 6536

DSC 6616

DSC 6817

DSC 6862

Dia das FAA - 9 Outubro

DSC 4116O vigésimo terceiro aniversário da constituição das FAA, foi também assinalado em Moscovo, com uma cerimónia promovida pela Chancelaria de Defesa afecta à Missão Diplomática angolana na Federação da Rússia.
Na ocasião, o Adido Militar, que falava na presença do embaixador de Angola na Rússia, Joaquim Augusto de Lemos, destacou a importância da data, numa altura em que está em curso uma reestruturação e a modernização da técnica e armamento das FAA.


Para o Contra-Almirante Júlio da Silva Kitumba, o processo de constituição das Forças Armadas Angolanas que culminou à 9 de Outubro simboliza um marco inclusivo, agregado a junção das duas forças militares beligerantes das FAPLA e as FALA, onde ninguém ficou de fora.
Inicialmente, 40 mil militares integraram as FAA para responder a necessidade de atribuição de mais dignidade constitucional subordinando-se ao poder político, na esteira das primeiras eleições democráticas de Angola em 28 e 29 de Setembro de 1992.


As FAA conservam a sua essência e fundamentos, pois ainda assim há quem as considere 13 anos depois da sua fundação, um dos sectores mais organizados e disciplinados da sociedade angolana.
Por essa razão, o exército nacional entrou num processo de reedificação baseado na formação de novos oficiais generais e superiores em universidades militares na Rússia, Cuba, China, Alemanha, França, Itália, etc, sem não cuidar da continuidade formativa nas academias militares em Angola para os três ramos, nomeadamente, Exército, Força Aérea e Marinha de Guerra.
Segundo o adido de defesa angolano, o efectivo militar de Angola já ascendeu os cem mil homens mas constitui preocupação do Comando Superior das (FAA) a superação qualitativa das tropas, com principal realce para a melhoria das condições de habitabilidade nas casernas, da dieta alimentar bem como a modernização da técnica e do armamento.
Para o Contra-almirante Júlio Kitumba, as FAA têm granjeado o apoio da comunidade internacional, e sobretudo, a africana, bem como é reconhecido o valor dos militares angolanos que tem sido um paradigma e servido de estudo nas universidades militares de África e não só, dada a sua vertente inclusiva.


Nesta senda, o exército nacional angolano, é o baluarte para a preservação da independência nacional e a defesa das instituições democráticas do país, e está a preparar-se para futuras operações de paz, sob a égide da ONU e da União Africana.
Assistiram o acto em alusão ao 23° aniversário do 9 de Outubro, ocorrido na UPDK, vários adidos militares acreditados em Moscovo, bem como diplomatas angolanos, africanos, europeus e da América.

DSC 4001 DSC 4131

Embaixadores da SADC na Rússia defendem maior sintonia na política exterior

7447354

Os países membros da SADC com representações diplomáticas em Moscovo, reuniram-se recentemente na embaixada angolana, que albergou como anfitriã, o habitual encontro rotativo dos seus embaixadores desta organização regional da África Austral na Federação Russa.
O objectivo da reunião dos chefes de missão diplomática acreditados neste país europeu, foi o de consolidar a uniformização da política externa das embaixadas da SADC enquanto residentes na Rússia.
Embora, nem todos os 14 países da organização regional africana estejam representados com missões na capital russa, é ponto assente nos embaixadores participantes pela continuidade do reforço da tradicional linha ou dos ideais da SADC neste país.
Este ano depois de Angola, reuniões idênticas e por ordem alfabética serão realizadas sucessivamente com o mesmo propósito nas embaixadas do Botswana, Moçambique, Malawi, Namíbia, Ilhas Maurícias, Swazilândia, África do Sul, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe.

DSC 7334 DSC 7404

Delegação angolana participou no 21º Congresso Mundial de Petróleo

21 congreso mundial  de petroleo 2014 - logoUma delegação angolana chefiada pelo ministro dos petróleos José Maria Botelho de Vasconcelos participou de 15 a 19 de Junho em Moscovo no 21º Congresso Mundial de Petróleo, o fórum internacional mais representativo no ramo do petróleo e gás do sector da energia em geral.
No evento assistiram os ministros do pelouro de vários países e os presidentes das empresas petrolíferas mais importantes, entre elas a Exxon Mobil, Shell, BP, «TOTAL, etc.».
Os líderes mundiais do petróleo abordaram os diversos factores macro-económicos e políticos que podem provocar flutuações no mercado mundial de petróleo e gás.
Os delegados focaram igualmente sua atenção na situação geopolítica que se configura a raiz do conflito ucraniano, pelas sanções impostas pelos Estados Unidos e a UE contra a Rússia.
O 21º Congresso Mundial de Petróleo reuniu mais de cinco mil delegados de 90 países.
Angola participou também na representativa e importante exposição de indústria do petróleo mundial que, numa superfície de 55 mil metros quadrados, funcionou, como é tradicional, paralela ao Congresso.
Da delegação angolana no congresso de Moscovo fez parte também a ministra da Ciência e Tecnologia Maria Cândida Pereira Teixeira, o presidente do Conselho de Administração da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola - Sonangol, Francisco de Lemos José Maria, e técnicos dos petróleos.

 

1 367A1042

2 367A1000

IMG 6369-1

367A0994

Pág. 1 de 5

Quem é Online

 
Temos 188 visitantes em linha